CLICK HERE FOR THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES »

30 junho 2008

Beleza das Flores

Acontece que um dia
A roseira minha que não era minha
apareceu cabisbaixa

As gêmeas cor-de-rosa lá não mais estavam
Entristeci!

O meu dia já não seria mais tão belo

Aguardarei
Todos necessitam de um tempo parar florescer
e tudo o que é belo pode um dia despetalar-se

E entre a fina garoa
e o vento rude
Estava lá, firme e cheia
Uma árvore rosa ou lilás
tão cheia de flores que nem se nota os galhos

E o meu dia que já não estava tão belo
Renovou-se
de alegria, esperança e gratidão.

A natureza é realmente sublime!

28 junho 2008

Sobre a beleza das Flores


Procurar flores...
Flores para a minha vida
Conhecer perfumes
Apreciar a beleza

Essa é minha busca contínua.


Diariamente me deparo com uma roseira
Que não é minha, na verdade acredito que não possui dono.
Sua morada não é a das mais belas, a única beleza e fonte de vida do local é a roseira.


Flores cor-de-rosa
Um par, uma proporcionalmente igual a outra, como gêmeas.

E me enamoro
E roubo um pouco de seu encanto

Tenho que admitir, já pensei em tomá-las em meu poder

Levá-las para mim
Mas de que adiantaria?
Longe de sua árvore, nada seriam
Faleceriam rapidamente


Contentei-me apenas em deleitar-me com sua beleza por poucos instantes, mas todos os dias.

E assim fui feliz
e assim sou feliz


De pouquinho em pouquinho
Diariamente
Agreganto beleza, pureza e gratidão aos meus dias e ao meu jardim!

A natureza é fascinante..

(A borboleta continua à procura de flores)

17 junho 2008

Noite fria
A Lua ao alto, ora presente, ora ausente.
Pessoas retraídas
Vejo minha respiração
Os passos estão mais curtos
Pensamentos mais lentos
E os movimentos,
se é que há movimentos, são árduos.