CLICK HERE FOR THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES »

06 maio 2010

Hoje
O meu corpo anda, se locomove
Como que involuntáriamente
Seguindo o fluxo dos dias
A travessando as horas, as ruas,
E a vida

Mas a alma, a minh'alma
O espírito
Permanece inerte, perdido
Preso em um espaço desconhecido

Os olhos,
Penso,
Mas não reflito
Hoje, apenas existo
Mas não vivo.

02/2010

06 março 2009


Buscando respostas...
Buscando encontrar-me.
Saber verdadeiramente o que sou e qual o meu papel aqui.
Em alguns momentos sinto-me como uma farsa, sendo algo que não sou. Mas esse alguém "de mentira", não sou eu de verdade?!
E se sim, será que realmente essa busca pela verdade é válida, será que questionar tanto não me torna uma pessoa infeliz, insegura e incerta, já que para essas perguntas é evidente que não existem respostas, não existem verdades a não ser aquelas que eu mesmo possa ousar responder.
Enfim, será?
Será que estou ficando louca?
Ou será que loucos são todos aqueles que passam pela vida e a consideram um fato normal? que não tomam conhecimento da própria existência?

18 fevereiro 2009

Era uma vez...

Da Crisálida de onde tudo começou, a metamorfose ainda acontece...

A borboleta continua à procura de uma flor.
Não de uma flor comum, mas daquela flor, a FLOR AZUL!
A que é difícil de encontrar, a rara e bela.
A que compensa todo o tempo, e esforço gasto.

Cansada estava
De passear por jardins
De encontrar inúmeras flores
E provar diversos sabores,
Sem sentir o doce que procura.

Pensou que o problema era com o jardim.
E foi para outro e mais outro.
Nada modificou-se.
Deduziu então que eram as flores,
E conheceu diversas espécies
Mas o amargo permanecia.

Foi quando,
Estafada de tanta procura e de tantos sabores
A Borboleta percebeu
Que o doce está em cada uma das flores
E que mesmo a flor mais simples pode ser a FLOR AZUL!

E entendeu que o amargo está em eu próprio paladar,
Que de nada adianta a procura se a própria borboleta encontra-se perdida.

Desde então, a Borboleta passou a viver sob uma nova perspectiva,
Continua a voar pelos jardins, com a alegria que a natureza presenteia,
Apreciando cada instante, cada flor, cada fruto de sua forma,
Porém mantém seu coração aberto

E vive,
A aguardar o momento em que não haverá mais o amargo
E seus lábios provarão diversos doces de uma única FLOR AZUL!!!

11 julho 2008

LIBERDADE

(a minha é liberdade vigiada!)

Me pergunto

Existe realmente liberdade
que nos deixe totalmente livres?

E se não... o que é então isso que tanto almejamos, a liberdade?!


(Para lembrar: Regime Semi-Aberto, pisou na bola -> Regime Fechado)

30 junho 2008

Beleza das Flores

Acontece que um dia
A roseira minha que não era minha
apareceu cabisbaixa

As gêmeas cor-de-rosa lá não mais estavam
Entristeci!

O meu dia já não seria mais tão belo

Aguardarei
Todos necessitam de um tempo parar florescer
e tudo o que é belo pode um dia despetalar-se

E entre a fina garoa
e o vento rude
Estava lá, firme e cheia
Uma árvore rosa ou lilás
tão cheia de flores que nem se nota os galhos

E o meu dia que já não estava tão belo
Renovou-se
de alegria, esperança e gratidão.

A natureza é realmente sublime!

28 junho 2008

Sobre a beleza das Flores


Procurar flores...
Flores para a minha vida
Conhecer perfumes
Apreciar a beleza

Essa é minha busca contínua.


Diariamente me deparo com uma roseira
Que não é minha, na verdade acredito que não possui dono.
Sua morada não é a das mais belas, a única beleza e fonte de vida do local é a roseira.


Flores cor-de-rosa
Um par, uma proporcionalmente igual a outra, como gêmeas.

E me enamoro
E roubo um pouco de seu encanto

Tenho que admitir, já pensei em tomá-las em meu poder

Levá-las para mim
Mas de que adiantaria?
Longe de sua árvore, nada seriam
Faleceriam rapidamente


Contentei-me apenas em deleitar-me com sua beleza por poucos instantes, mas todos os dias.

E assim fui feliz
e assim sou feliz


De pouquinho em pouquinho
Diariamente
Agreganto beleza, pureza e gratidão aos meus dias e ao meu jardim!

A natureza é fascinante..

(A borboleta continua à procura de flores)

17 junho 2008

Noite fria
A Lua ao alto, ora presente, ora ausente.
Pessoas retraídas
Vejo minha respiração
Os passos estão mais curtos
Pensamentos mais lentos
E os movimentos,
se é que há movimentos, são árduos.

25 maio 2008

METAMORFOSE

Repara: - a imóvel crisálida
Já se agitou, inquieta,
Cedo, rasgando a mortalha,
Ressurgirá borboleta.

Que misteriosa influência
A metamorfose opera!
Um raio de sol, um sopro
Ao passar, a vida gera.

Assim minha alma, inda ontem
crisálida entorpecida,
Já hoje treme, e amanhã
Voará cheia de vida.

Tu olhaste - e do letargo
Mago influxo me desperta:
Surjo ao amor, surjo à vida
A luz de uma aurora incerta.

Júlio Dinis, Poesias

Foi o Vih que me mandou!!!!

Amo-te

19 maio 2008

Músicas

Músicas não são apenas melodias associadas a letras.

São muito mais que isso...
Músicas são para serem apreciadas, entendidas, vivenciadas.

Músicas me lembram o passado,
Me fazem pensar no presente e sonhar com o futuro.

Lembrar...

Lembrar pessoas que apreciam determinada música ou banda, que se parecem com aquela que você ouviu, que esteve presente ouvindo com você aquela música, ou até mesmo que dançou contigo um dia!
Lembrar fases da vida, momentos vivenciados, sentimentos, épocas... Reviver momentos, renascer sentimentos: SAUDADE, TRISTEZA, ALEGRIA (e tantos outros mais).


Saudades de pessoas, de momentos, de cheiros, de sabores, de sorrisos e até de lágrimas.
Alegria em viver, em ter vivido, em relembrar.
Músicas iniciam novas fases da vida!
E penso em minhas atitudes, em o que deveria ter feito, que deveria ter aproveitado mais, me entregado mais, escutado mais o coração, acatado menos, por sinal me lembro de Epifáfio-Titãs.

Músicas me fazem desejar viver novamente, ver novamente, desejar que as coisas fossem com antes, que mudem ou que melhorem.

Músicas são
MÚSICAS.

Ouçam...

16 maio 2008

Também tenho saudades!

13 maio 2008


E vejo flores em você!
E vejo flores em tudo,
E vivo à procura de flores!

11 maio 2008


O TEU AFETO ME AFETOU, É FATO!

"Livre em meu casulo"

"Paciência é uma virtude", disse meu pai um dia: -Aprenda isso!

Não sei se aprendi... paciência não é uma das minhas qualidades!

O que acontece é que o tempo passou, e depois de pouco mais de quatro longos meses me senti completamente livre...
Os motivos não devem ser declarados, mas o que importa é que mesmo dentro da minha crisálida, dentro do meu casulo nessa fase de crescimento me senti livre! totalmente desprendida do passado...

Desprendida... e livre para ser quem eu realmente sou, e fazer que eu bem quisesse, sem nenhum peso na consiência!
Mas agora as coisas são diferentes!

Não tenho pena de ninguém...
Eu quero é mais ser feliz!

As portas estão abertas, e o coração também!


E a metamorfose continua... Mto tenho aprendido!!!

08 maio 2008

Memória...

Minha memória é fraca como o descartável
efêmera como as obras em gelo
volátil como discos flexíveissão como as memorias em flash,
que não são memorias, são apenas vagas lembranças.
Mas guardo o
quando senti prazer e de quando senti medo
desde minhas conquistas impossíveis passando por minhas perdas..."

TOM COYOTE...


E dizem que minha memória é de uma semana!

Eu sinto que sei que sou tanto bem maior!!!

04 maio 2008


E no decorrer dessa longa transformação, me permiti sair da crisálida para aproveitar o que o resto do mundo tem a me oferecer...
Deixar o casulo por um momento e estar aberta... às pessoas, às novidades, às musicas, aos lugares... ate à tequila, arguile e forró!!!!!

Experiências diferentes com pessoas que apesar de diferentes possuem os mesmos gostos e idéias que eu, de um certo modo me fortaleceram e me deram auxilio para esse processo de crescimento e amadurecimento pelo qual estou vivendo.

(ótimo saber que borboletas como eu não estão em extinção)

Lindo o pôr do sol!!!

Lindo o Teatro Mágico...

Lindo!!!!

E a METAMORFOSE continua...

01 maio 2008

Da Lagarta à Borboleta



Durante a fase de crisálida, a lagarta é lentamente transformada em borboleta. Quando a transformação está completa, a crisálida se abre e a borboleta sai de seu interior. Quando suas asas ficam esticadas e secas, a borboleta estará pronta para voar.Uma crisálida (latim: chrysaliis, do grego χρυσαλλίς = chrysallís, plural: crisálidas), é o estágio de pupa de insetos da ordem lepidoptera. O termo é derivado da coloração metálico-dourada encontrada nas pupas de muitas borboletas (grego: χρυσός (chrysós) significa ouro).O estágio de crisálida em muitas borboletas e o único aonde elas pouco se movem ou não o fazem. Entretanto, muitas pupas de borboletas são capazes de mover seus segmentos abdominais para produzir sons que possam afugentar potenciais predadores. Dentro das crisálidas ocorre o processo de crescimento e diferenciação sexual. As borboletas adultas emergem destas e expandem suas asas para bombear sangue pelas veias. Esta rápida e brusca mudança é chamada METAMORFOSE